Hospital Carlos Macieira recebe oficina em diagnóstico e tratamento das leishmanioses

Com o objetivo de orientar profissionais da assistência sobre diagnóstico e tratamento da leishmaniose visceral, também conhecida como calazar, e da leishmaniose tegumentar, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Vigilância Epidemiológica, realizou nesta quinta-feira (27) capacitação técnico/prático no Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM).

 

De acordo com a enfermeira Loriany Marques Garcez, do Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar do HCM, o encontro foi positivo e promoveu a atualização da equipe. “O objetivo foi apresentar aos profissionais dados nacionais - do Maranhão e específicos do Hospital Carlos Macieira-, além das novas normas terapêuticas preconizadas pelo Ministério da Saúde e a importância dos exames físicos e clínicos para o diagnóstico como um todo, incluindo o teste rápido para a doença, que já é realizado no HCM”, explicou.

 

A coordenadora do Programa de Leishmanioses do Estado, Monique Maia, contou que o HCM foi o primeiro hospital de São Luís a receber a oficina. A estratégia, segundo ela, é apresentar a realidade de casos de cada hospital, como forma de fortalecer o trabalho das equipes multiprofissionais que atuam nos núcleos, na assistência e nas farmácias. 


“Tem sido crescente o número de casos e de óbitos por causa da doença. Queremos que os profissionais conheçam as novas ferramentas tanto para o diagnóstico como para o tratamento precoce, visando, com isso, a diminuição de óbitos”.


Já o infectologista Jackson Costa ressaltou que os encontros têm como foco o tratamento da doença. “Ao apresentarmos dados reais, baseados nas notificações e a realidade de cada instituição, conseguimos observar quais são os pontos frágeis e o que pode ser melhorado, sempre pensando no cuidado para o paciente”, afirmou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!