24 maio 2016

Rodoviários exigem escolta policial em ônibus que circulam na zona rural de São Luís

Em novo encontro na manhã desta terça-feira (24), no Palácio dos Leões, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão cobrou do Governo do Maranhão, medidas mais eficazes, que possam impedir novos ataques à ônibus em pontos finais mais afastados, principalmente, aqueles localizados na zona rural.

O Presidente da entidade, Isaias Castelo Branco, entre as sugestões levadas para a reunião, solicitou que os coletivos que realizam trajetos para locais mais distantes, sejam escoltados por homens da polícia militar. Na noite da última segunda-feira, mais um ônibus foi alvo de tentativa de incêndio na região do Maracanã.

A Secretaria de Segurança Pública pediu ao Sindicato dos Rodoviários, um mapeamento dessas áreas mais preocupantes, para que o trabalho seja executado o mais rápido possível. Logo após o encontro com autoridades de segurança, a entidade que luta pela preservação dos direitos e segurança de quem atua no transporte público, se reuniu com a MOB, para realizar este mapeamento composto por áreas ou pontos finais considerados mais vulneráveis a criminalidade. As informações já foram encaminhadas a Secretaria de Segurança Pública e Comando da PM.

“Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para garantir a integridade dos trabalhadores do transporte público. Essa garantia de escolta policial em ônibus que trafegam pelas localidades mais afastadas da grande São Luís vai trazer mais tranqüilidade não só para a categoria, mais também aos usuários do sistema. Na noite de segunda fomos surpreendidos com mais uma tentativa de ataque a ônibus e isso já estava fora de controle. As autoridades de segurança não podem mais permitir que os criminosos dominem a situação, causando pânico e terror entre a população. Esperamos que essa medida seja colocada em prática ainda hoje”, declara Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

ASCOM SINDICATO DOS RODOVIÁRIOS DO MARANHÃO

Ciro Mineiro

0 comentários:

Postar um comentário