Secult retifica edital e divulga mais 10 obras concorrentes ao VI Salão de Artes Visuais de São Luís



A Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e a Galeria Trapiche Santo Ângelo divulgaram, nesta terça-feira (16), errata com retificação do edital do VI Salão de Artes Visuais de São Luís, na qual amplia o número de obras concorrentes à premiação e revoga o critério de participação de artistas que tenham sido desclassificados em editais do salão de anos anteriores.

A principal cláusula de revogação do edital foi a ampliação do número de obras selecionadas no VI Salão, que passou de 20 para 30 obras concorrentes, respaldada pelo item 10.5 do edital que diz que: "(...) a Prefeitura de São Luís poderá a qualquer tempo revogar ou anular, no todo ou em parte, o Edital do Salão de Artes Visuais".

Outro item revogado do edital foi o que diz respeito à participação de artistas desclassificados em edições anteriores do Salão de Artes Visuais de São Luís. "Consideramos importante a revogação desta cláusula por entendermos que nenhum artista ludovicense pode ser banido de um certame público, uma vez que a missão do Salão é democratizar o acesso de todos", pontuou a diretora da Galeria Trapiche, Camila Grimaldi.

"Todas essas ações de fomento fazem parte de um novo modelo de gestão que pretendemos implantar neste ano, com atividades direcionadas não somente à realização de exposições e premiações no segmento das artes visuais, mas também possibilitar a vivência, o conhecimento, a capacitação e uma apropriação dos próprios artistas, para que sintam cada vez mais motivados a participarem da galeria, que é um equipamento cultural público, de acesso a todos. Teremos ainda este ano a execução da Galeria a Céu Aberto, a publicação de um edital de ocupação, promoção de cursos de formação e variadas exposições", afirmou o secretário municipal de cultura, Marlon Botão.

De acordo com a diretora da Galeria Trapiche, Camila Grimaldi, que assumiu o cargo em janeiro deste ano, as alterações foram motivadas com o objetivo de possibilitar uma maior diversidade de expressões e categorias estéticas no VI Salão. "O Salão de Artes Visuais é o principal concurso cultural neste segmento na capital maranhense, nesse sentido é importante que o mesmo cumpra o seu papel de atender a todas as vertentes das Artes Visuais presentes no contexto contemporâneo da cidade", destacou Camila Grimaldi.

No dia 24 de fevereiro, acontecerá na Galeria Trapiche uma palestra sobre o contexto histórico dos salões nas artes visuais do Brasil, com o curador Josué Matos. Na ocasião, serão debatidas as questões que estão promovendo a reformulação do próprio edital do Salão de Artes Visuais de São Luís para os próximos anos.

MUDANÇAS E PROJETOS

As alterações no edital também fazem parte das novas ações do equipamento cultural da Prefeitura para o ano de 2016. Além da premiação aos seis artistas classificados, entre as trinta obras selecionadas pela Comissão de Seleção, este ano o VI Salão conta também com edital de fomento que irá oferecer recursos para que um artista local participe de oficinas e troca de conhecimento artístico por meio de bolsa residência, que será realizada na sede do Instituto JA.CA, em Minas Gerais, em uma parceria com a Galeria Trapiche Santo Ângelo. As inscrições para a bolsa residência estão abertas até o dia 19 de fevereiro, no site do instituto (www.jaca.center), e o valor total da bolsa é de R$ 15 mil reais.

SOBRE O VI SALÃO

Em sua sexta edição, o Salão de Artes Visuais de São Luís é um evento e concurso cultural já consolidado pela Prefeitura como um dos principais meios de incentivo à criação e difusão da produção artística, no segmento das artes visuais, do Município e do Estado, com o objetivo de apresentar ao público a diversidade da atual produção artística maranhense em Artes Visuais, divulgar e valorizar o trabalho dos artistas, além de estimular a formação e a reflexão sobre temais atuais.

O edital do VI Salão de Artes foi elaborado ainda sob gestão do jornalista e designer Paulo Melo Sousa, responsável por definir o Júri de Seleção e o Júri de Premiação, de acordo com regulamento do certame, formado pela curadora de arte e gestora cultural Lani Goeldi (presidente e curadora da Associação Artística e Cultura Oswaldo Goeldi) e o arte-educador, especialista em museologia e produtor cultural Paulo Vergolino, que recebeu todo o material de inscrição com fotos, portfólios, currículos e vídeos dos artistas concorrentes.

Vinte obras foram selecionadas pelo júri e a lista foi divulgada no dia 1ª de fevereiro deste ano. Entre os critérios definidos pela curadoria para seleção, foram levados em consideração dimensões das obras, técnicas utilizadas, materiais, linguagens e todo o conjunto do trabalho artístico. "Devido à complexidade dos elementos que definem a qualidade do 'conjunto da obra', na qual estão incluídos o histórico do artista, o processo de criação, o contexto de produção e difusão do objeto artístico, elencamos seis critérios para análise, de acordo com as diretrizes do edital", afirmaram os curadores Lani Goeldi e Paulo Vergolino.

Para a revisão do edital, foi formada uma comissão organizadora composta pela diretora da Galeria Trapiche e produtora cultural, Camila Grimaldi; o diretor do Cine Teatro da Cidade e produtor cultural, André Lobão; e a artista plástica Ana Borges. "Em nome da comissão, compreendemos que as mudanças vêm com o propósito de oferecer um certame mais democrático e diversificado na seleção das obras e o objetivo daqui para a frente é promovermos um diálogo mais amplo com a sociedade e o segmento artístico para melhoria do próprio edital", ressaltou André Lobão.

Com a revogação, dez novos artistas passam a concorrer à premiação máxima no valor de R$ 15 mil reais, de acordo com a classificação do Júri de Seleção. São eles: Antonio Melo com a obra "Vendedor de suquinho brincando"; Dalton Costa com a obra: "Seblantica Sibornetica"); Fernanda Areis, com a obra "(DDD) Dia de Domingo"; Gil Leros, com a obra "Os senhores cantadores"; Jailton Nogueira, com a obra "Ruínas da antiga fábrica Martins, Irmão e CIA"; Manlio Macchiavello, com a obra "Liquid Anamorphing"; Marlice Macêdo, com a obra "Bordado: o boi é meu, boto nele o que quiser"; Nando Nascimento, com a obra "Mi cumple"; Nilza Moraes, com a obra "Fuga", e Walquiria Almeida, com a obra "Anjos, quem somos?". Os 10 novos artistas selecionados devem entregar suas obras até sexta-feira (19) na Galeria Trapiche.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!