22 fevereiro 2016

São Luís sem ônibus nesta terça-feira: Sem acordo com empresários, motoristas e cobradores decidem por nova paralisação


A decisão foi tomada ao fim de uma reunião de conciliação realizada na sede da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte, na tarde de hoje.




Motoristas e cobradores de ônibus, que cruzaram os braços por duas horas no início da manhã desta segunda-feira (22), prometem uma nova paralisação mais demorada para esta terça-feira (23).


A decisão foi tomada ao fim de uma reunião de conciliação realizada na sede da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte, na tarde de hoje. Os representantes dos empresários afirmaram que não têm condições financeiras de fazer o pagamento dos 40% adiantamento de salário, que estava previsto para o último dia 20.


Pela convenção coletiva, os salários dos rodoviários devem ser pagos em duas parcelas: 40% de adiantamento, até o dia 20 de cada mês, e o restante, 60%, até o quinto dia útil do mês subsequente.


Segundo os rodoviários, apenas as empresas Pericumã, Transrequinte, Pelé, Aroeira (que tem linha para a zona rural) e Autoviária Matos fizeram o pagamento do adiantamento aos trabalhadores.


Estranhamente, as maiores empresas, que devem ter um suporte financeiro maior, dizem que não têm condições de cumprir o acordo. Entre as que afirmam que não vão pagar estão a Primor, Taguatur, 1001 e Maranhense. 

O SET afirma que essas empresas só terão condições de efetuar o pagamento dos 40% no próximo dia 25. Proposta prontamente rejeitada pelos representantes dos trabalhadores.


Segundo a direção dos rodoviários, a paralisação desta terça-feira pode se transformar em greve por tempo indeterminado.


Há quem afirme que os empresários estão tentando fazer com que a Prefeitura de São Luís conceda aumento nas passagens. A paralisação dos rodoviários, para os empresários, seria uma forma de pressionar o município. 


0 comentários:

Postar um comentário