GRUPOS TRADICIONAIS PARTICIPAM DA PROGRAMAÇÃO DO SÃO JOÃO DE TODOS



A dança portuguesa Império de Lisboa, do bairro Maiobão, foi a primeira a se apresentar na décima primeira noite do São João de Todos. O grupo levou para o Arraial da Praça Maria Aragão a pompa dessa dança, com muito luxo nas indumentárias e nos passos coreografados em detalhes.

Na programação, ainda se apresentarão, como grupos convidados, o boi de sotaque de costa de mão Rama Santa, no dia 25 de junho, às 19h; a dança do coco Pirinã, no dia 28 de junho, Às 19h, e o boi de costa de mão de Eliézio, no dia 29 de junho, às 19h.

Também na noite desta segunda-feira (22), se apresentou João Walber Pessoa, com o show "Muito mais São João". O cantor embalou o público com ritmos juninos, toadas de bumba meu boi, além de homenagear nomes como João do Vale e Humberto de Maracanã.

Mas a noite também foi para ver uma dança que faz parte do projeto de salvaguarda da Fundação Municipal de Cultura (Func). Uma forma de valorizar e preservar manifestações que estão se perdendo com o tempo.

A Dança do Lelê Pela Porco do Riacho Seco, do município de Rosário, trouxe uma das tradições do Estado. A Dança do Lelê ou Pela Porco é de origem europeia (francesa, espanhola e portuguesa) que está presente no Maranhão, nas regiões de Rosário e São Simão. O nome está relacionado ao hábito de matar um porco para servir aos convidados das festas onde a dança era realizada.

Tradicionalmente, participam do grupo pessoas mais velhas, que são especialmente convidadas para estes festejos, mas, atualmente, os jovens também brincam. Os participantes se colocam em filas frente a frente com seus pares e desenvolvem coreografias, mandalas e trançados, que requerem muita atenção de seus participantes apesar do ritmo lento e constante.

A música do Lelê tem algumas melodias básicas e muitos versos improvisados ao som de cavaquinho, rabeca, viola e pandeiro, além das castanholas. A dança é composta por momentos distintos: o chorado, que é o convite para a festa. Nele, o homem se apresenta para a mulher; a dança grande, que é a parte mais complexa e diversificada da dança, que consta do cortejamento dos pares; o cajueiro, na qual os "brincantes" saúdam os presentes, também chamado de "juntar castanhas" ou "entregar o caju".

O organizador do grupo, Zé Luis, diz que as pessoas precisam conhecer mais a dança para poder valorizá-la. "Uma dança que está se perdendo, por isso eu queria que a cultura me olhasse com outros olhos", afirmou.

Após apresentação da Dança do Lelê, subiu no palco o Boi Encanto da Madre Deus, que trouxe o estilo alternativo para a Praça Maria Aragão. O grupo apresentou os diversos sotaques de bumba meu boi, como zabumba, baixada e matraca. Assim também eles contaram o auto do bumba meu boi com teatralidade e muita magia.

A noite foi encerrada com um batalhão de emoções. É assim que o Boi Lendas e Magia do Centro Histórico se autodefine. O grupo estava radiante e se apresentou com o colorido que se destacou na noite desta segunda-feira (22).

Até o dia 29 de junho, a programação na Praça Maria Aragão continua com a participação de grupos selecionados pela Func por meio de edital público. O São João de Todos é realizado a partir de parceria entre a Prefeitura de São Luís e o Governo do Maranhão, e conta com o apoio de órgãos municipais e estaduais também com os serviços da Potencial Segurança Privada. A Skol, Oi e Petrobrás são patrocinadores oficiais.

TV METROPOLITANA 58 E TV ALTERNATIVA 35

Participe de nossa programação envie sua sugestão de pauta ou denuncia para 98 981913020 Whatsapp.