Quem for para PE ou CE tem de vacinar-se contra o sarampo

As pessoas que estão com viagem marcada para cidades dos Estados de Pernambuco ou do Ceará, antes de viajar, devem tomar a vacina contra o sarampo, já que essas regiões registraram casos da doença no começo deste ano. A imunização serve para as pessoas que ainda não tomaram a dose necessária da tríplice viral, que também protege contra a rubéola e a caxumba. A vacina deve ser tomada até 10 dias antes do embarque, de acordo com a Secretaria Estadual da Saúde.

Em 2013, a doença esteve presente em diferentes regiões do mundo, resultando em mortes no Paquistão e na Nigéria, e milhares de casos na China, Turquia, Rússia, Geórgia, Gabão e no Reino Unido. Os Estados Unidos registraram surtos em três estados, relacionados à importação do vírus da Índia e Reino Unido. Em São Paulo foram registrados cinco casos de sarampo em 2013, todos vinculados à importação de outros países, mas desde o ano 2000, não há registro de circulação endêmica.

De acordo com a chefe de divisão da Vigilância Epidemiológica de Sorocaba, Renata Guida Caldeira, a doença atinge pessoas que não tomaram as duas doses recomendadas da vacina tríplice, que são aplicadas nos primeiros 15 meses de vida, ou então a dose aplicada para jovens entre 7 e 19 anos, ou ainda, as duas doses aplicadas para adultos entre 20 e 59 anos. Também não precisam se imunizar aqueles que já contraíram a doença e os nascidos antes de 1960.

o sarampo é uma doença altamente contagiosa, já que sua transmissão ocorre através do contato com uma pessoa infectada ao falar, tossir, espirrar ou mesmo por dispersão de gotículas em ambientes fechados. As pessoas que viajaram ao exterior nos últimos 30 dias ou tiveram contato no mesmo período com alguém que viajou devem ficar atentas quanto aos sintomas da doença.

O sarampo geralmente se manifesta de forma mais acentuada nos primeiros dias após o contágio e os principais indícios do vírus são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e aparecimento de inflamações avermelhadas na pele. Ao perceber os sintomas, o indivíduo deve procurar imediatamente atendimento médico. A chefe da Vigilância Epidemiológica também destaca que o problema pode aumentar com o fim das férias e início do ano letivo, além de haver uma preocupação especial com a chegada das delegações que ficarão hospedadas na região para a disputa da Copa do Mundo, bem como os turistas que devem aparecer pelos municípios que abrigarão as seleções durante o torneio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!