EM UMA SEMANA EXÉRCITO NIGERIANO DIZ TER MATADO 63 TERRORISTAS

O Exército nigeriano afirma ter matado 63 supostos membros do grupo radical islâmico Boko Haram em dois ataques contra suas posições no norte do país, segundo informou nesta segunda-feira no porta-voz militar.

Desse número, 56 foram mortos durante o fim de semana passado em uma operação aérea e terrestre realizada em uma floresta próxima à população de Alafa, no Estado de Borno, onde o Exército manteve uma intensa "luta" na qual dois soldados ficaram feridos. O general Chris Olukolade explicou em comunicado que o objetivo dessa operação era evitar que o grupo terrorista estabelecesse um acampamento na zona.

A segunda ofensiva, na qual morreram sete supostos terroristas, se desenvolveu perto do lago Chade, onde o grupo se concentrava para atacar algumas povoações próximas, segundo o porta-voz militar.

Desde 16 de maio, as autoridades da Nigéria realizam uma ofensiva antiterrorista nos Estados de Yobe, Borno e Adamawa, no nordeste do país, todos eles submetidos ao estado de emergência. A operação foi iniciada após um aumento da atividade do Boko Haram nessa zona, embora sigam sendo produzidos ataques dos fundamentalistas.

O grupo, cujo nome significa na língua local "a educação não islâmica é pecado", luta por impor a Lei Islâmica no país africano, de maioria de população muçulmana no norte e predominantemente cristã no sul.

Desde 2009, quando a Polícia acabou com o líder de Boko Haram, Mohammed Yousef, os radicais mantêm uma sangrenta campanha que já deixou mais de 3 mil mortos, segundo números do Exército nigeriano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!