Empresário Daniel Smith foi morto por reconhecer um dos criminosos

Secretário informou que adolescente já foi apreendido sete vezes, somente, em 2013.
Daniel Smith.
Daniel Smith.
Um adolescente de 17 anos e o comparsa dele, identificado apenas como “Jonathan”, foram apresentados durante entrevista coletiva, na manhã desta sexta-feira (6), no auditório da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), no bairro Outeiro da Cruz. A dupla é suspeita pelo crime de latrocínio [roubo seguido de morte], que teve como vítima o paisagista e empresário Daniel Prado Smith, de 55 anos. Estavam presentes na coletiva o secretário de Segurança, Aluísio Mendes, e o delegado André Gossaim, responsável pela prisão dos envolvidos.
Autoria
O adolescente confessou ser o autor dos disparos contra Daniel Smith. Ele relatou os detalhes do crime durante entrevista coletiva, confirmados pelo delegado André Gossaim, durante conversa com a imprensa. O menor de idade, réu confesso na morte do paisagista, foi apreendido sete vezes por práticas de crimes, somente, em 2013. A afirmação é do secretário de Segurança, Aluísio Mendes. Ele é suspeito de assaltar um promotor de Justiça, um policial rodoviário e um delegado de polícia.
Crueldade
suspeitospaisagista460-300x225
Gossaim afirmou que o paisagista foi morto por uma facção criminosa da Vila Conceição, especializada em tráfico de drogas, assaltos, homicídios, entre outros crimes. O delegado disse que o crime foi praticado com requinte de crueldade. Ele disse que a vítima foi sequestrada próximo a residencia dele no Calhau. A quadrilha anunciou o assalto e obrigaram Daniel a sacar dinheiro. Ele não estava com os cartões, mas eles conseguiram, ainda, roubar R$ 200,00, além de uma aliança e celular. Um dos bandidos conduziu o veículo, um modelo Corola, de cor bege e placa HOZ-1888, de propriedade do paisagista, até o Araçagi. Chegando lá, a quadrilha invadiu uma casa, no momento, em que o dono chegava, levando objetos e um veiculo Punto, placas OJE-2957, abandonado na Vila Isabel, no bairro do Anjo da Guarda, na área Itaqui-Bacanga.
O delegado André Gossaim relatou que os bandidos abandonaram o veículo do paisagista na residencia do Araçagy e depois decidiram matá-lo. Daniel foi levado para o terreno baldio na Rua 1 do Planalto Vinhais I e executado. Ele foi amarrado, amordaçado e espancado com pedaço de pau e chutes na região do pescoço e das costas. Um deles sacou de um revólver calibre 38 e atirou na cabeça. Depois, se dirigiram ao Bairro do Monte do Castelo, em busca de um comparsa. O adolescente declarou que o empresário foi morto por reconhecer um dos criminosos.
Ao tomar conhecimento do desaparecimento do paisagista, o delegado disse que a polícia começou a investigar o caso e caiu em campo para prender os suspeitos.
- Fizemos uma campana na região da Vila Conceição, local em que o bando estava escondido. Conseguimos prender o adolescente e o “Jonathan”. Um dos assaltantes reagiu atirando contra a polícia. Em legítima defesa, a polícia respondeu aos tiros. Um dos bandidos identificado como Givanilson Santos, o “Pato”, chefe da quadrilha, acabou sendo atingido, foi levado para o Hospital Djalma Marques, o Socorrão I, mas não resistiu aos ferimentos – ressaltou.
Gossaim disse não saber quantas pessoas estão envolvidas no caso. O secretário de Segurança, Aluísio Mendes, afirmou que a polícia está na perseguição e garantiu a prisão de todos os responsáveis pelo crime bárbaro.
Desaparecimento
Daniel Prado Smith, de 55 anos, desapareceu na última quarta-feira (4). O corpo foi encontrado, na noite dessa quinta-feira (5), em um terreno baldio no Planalto Vinhais I. Ele foi enterrado no Cemitério do Gavião, no Centro de São Luís.
Irmão do também empresário John Smith, Daniel era assessor da desembargadora do Tribunal de Justiça do Maranhão Nelma Sarney Costa e proprietário do antigo Parque Smithland, localizado no bairro Calhau, atualmente conhecido como Casa dos Smiths, onde eventos são promovidos aos fins de semana.

com informações do Imirante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!