Rede Sustentabilidade tenta validar até quinta feira as 500 mil assinaturas para oficializar a criação do partido



Marina corre contra o tempo para criação da Rede Sustentabilidade Ex-senadora tem até quinta para validar 500 mil assinaturas e oficializar a criação do partido para a disputa no ano que vem

Hoje, a Rede informa ter cerca de 800 mil assinaturas coletadas (Cristina Horta/EM/D.A Press)
Hoje, a Rede informa ter cerca de 800 mil assinaturas coletadas

Apontada por pesquisas eleitorais como o maior obstáculo à reeleição da presidente Dilma Rousseff, a ex-senadora Marina Silva tem pela frente quatro dias decisivos para uma eventual campanha ao Palácio do Planalto. Até quinta-feira, a Rede Sustentabilidade, encabeçada por Marina, precisa validar cerca de 500 mil assinaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para regularizar o novo partido, criado para dar sustentação à candidatura presidencial da ex-petista. O partido tem o relógio como principal inimigo para o projeto, já que 300 mil assinaturas ainda precisam ser validadas para a formação da Rede. Com dificuldades para consolidar os documentos em cartório, a pré-candidata pode ser obrigada a estudar vias alternativas para encarar a disputa eleitoral.


Marina corre contra o tempo para criação da Rede Sustentabilidade Partido de Marina já certificou 160 mil assinaturas Suspeito de depredar Itamaraty é do partido de Marina Silva
Hoje, a Rede informa ter cerca de 800 mil assinaturas coletadas. Dessas, 600 mil foram entregues aos cartórios, mas apenas 189 mil já foram validadas. Integrantes da legenda alegam que a regularização do partido está sendo prejudicada pelo atraso para regularizar as assinaturas. Segundo eles, funcionários dos tribunais regionais eleitorais estariam sobrecarregados de trabalho, devido à implantação do sistema de biometria. “Os cartórios deveriam fazer esse processo em, no máximo, 15 dias. Mas muitos deles estão demorando mais do que isso”, disse o deputado federal Alfredo Sirkis (PV-RJ).

Outro membro da Rede, o ex-deputado federal José Fernando Aparecido (MG), reforça que o partido recolheu quase o dobro de assinaturas requeridas pelo TSE, prevendo a morosidade dos serviços em cartórios. “Nós estamos, agora, nas mãos da Justiça Eleitoral e contamos com a boa vontade dos cartórios para que façam o trabalho deles dentro do prazo.” O movimento, segundo ele, também já conta com 11 comissões estaduais, duas a mais do que o exigido pelo TSE.

Em reunião com a Comissão Nacional Provisória da Rede, ontem em Brasília, Marina Silva disse que está buscando com a Justiça Eleitoral uma solução para o atraso. Temendo que o partido seja prejudicado pela falha dos cartórios, ela disse que se reunirá, nesta semana, em audiência com a corregedora-geral do TSE, ministra Laurita Vaz, e com a presidente do tribunal, ministra Cármem Lúcia. “Não é justo que paguemos pela demora dos cartórios. Nós fizemos tudo o que a legislação nos pediu”, sustenta José Fernando.

Confiança Membros da Rede parecem manter o otimismo, apesar da proximidade do prazo final estipulado pelo TSE. “Há esperanças de que esse processo seja cumprido até o fim, mesmo que seja no fio da navalha”, afirma Alfredo Sirkis. A esperança está fundamentada no registro de crescimento de popularidade da ex-senadora em pesquisas eleitorais. Segundo o Datafolha, divulgado no último fim de semana, Dilma Rousseff enfrentaria um segundo turno contra Marina Silva, caso as eleições fossem hoje. A pré-candidata é a única que vem conquistando avanço gradual nos números do estudo. Em relação à última pesquisa, realizada em meio às manifestações de junho, Marina subiu de 23% para 26%.

Caso o movimento perca o prazo de entrega das assinaturas, Marina e sua equipe devem discutir qual será a alternativa para formalizar a campanha à Presidência. Até o momento, não houve debate sobre possibilidade de a Rede se unir a outros partidos, segundo Sirkis. “Isso só poderá ser discutido depois de quinta-feira. Este assunto não cabe neste momento. Por enquanto, vamos continuar juntando esforços para a construção do partido.”

 com informações de Daniela Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!