Profissão repórter da rede GLOBO retorna ao Maranhão e encontra Hospital de Tutoia no mesmo estado de abandono


tutoia










Enquanto faltam leitos em Tutoia, reportagem mostra que hospital da cidade vizinha com população bem menor possui leitos vazios
A equipe do programa “Profissão Repórter”, da TV Globo,  comandado pelo jornalista Caco Barcelos, eleito entre os colegas de trabalho como um dos maiores jornalistas investigativos do país, voltou ao Maranhão e encontrou situação similar ao que registrou no ano passado:  o abandono de hospitais em cidades  que precisam mandar os doentes para municípios vizinhos de menor porte, onde hospitais récem-construídos pelo governo possuem leitos vazios.O programa que mostra essa situação e volta a fazer questionamentos sobre o programa “Saúde é Vida”  foi veiculado ontem na TV Mirante, emissora afiliada da Globo no Maranhão.
Victor Ferreira, um dos repórteres do programa retornou após um ano a cidade de Tutóia. O jornalista revelou a falta de estrutura no hospital da cidade enquanto em pequenos municípios do mesmo estado, tem hospitais vazios e citou o caso de Paulino Neves, cidade próxima a Tutoia, onde foi construído um dos Hospitais do programa Saúde é Vida. Tendo uma população bem menor do que Tutoia, o Hospital de Paulino Neves acaba recebendo a demanda do município vizinho, cuja população embora seja maior, possui um hospital desprovido da estrutura condizente com o tamanho da população, onde até a máquina de Raio X está quebrada. Tutoia possui 52.788 habitantes, mas a Secretaria de Saúde do Estado optou por construir um hospital em Paulino Neves cidade que tem  14.519 habitantes em vez de investir na reforma e modernização do Hospital de Tutoia.
Esta não é a primeira vez que o programa “Saúde é Vida” é alvo de questionamentos da imprensa nacional. Em 2011 reportagem da Revista “Isto é” tratou do assunto e na ocasião, o atual prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves(PSB), então deputado federal disse à revista que a concepção do programa contraria o próprio ministério da Saúde sobre a construção de hospitais em cidades com menos de 30 mil habitantes e alertou que os hospitais corriam o risco de se tornarem elefantes brancos. O argumento apresentado pela Secretaria de Saúde é de que a escolha dos  municípios destinados a receber os hospitais como é caso de Paulino Neves se deu por critérios técnicos.
Veja o vídeo da reportagem



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!