Invasores do Residencial Nova Terra podem ser incluidos em cadastro negativo






A intenção é incentivar os ocupantes a deixarem o local de forma pacifica” disse o delegado da Polícia Federal, Alexandre Lucena, sobre o processo de identificação das pessoas que se recusaram a deixar os imóveis do conjunto Nova Terra, do “Programa Minha Casa, Minha Vida”, em São José de Ribamar, e que acarretará na exclusão e proibição dos envolvidos em participar de qualquer outro processo habitacional promovido pelo Ministério das Cidades. 

O delegado federal, Alexandre Lucena, responsável pela Operação Zodíaco, que visa a desocupação das três mil residências do conjunto Nova Terra, destacou que esta identificação está sendo feita através das certidões dos oficiais de Justiça. Ele também afirmou que a relação nominal dos ocupantes remanescentes ou dos que entraram em confronto com a polícia na última segunda-feira será encaminhada ao Ministério das Cidades no fim do prazo para a realização da operação, marcado para sexta-feira. 

Lucena esclareceu que a maneira de exclusão destas pessoas é de responsabilidade do Ministério das Cidades, através da Superintendência da Caixa Econômica Federal. Sobre a quantidade de pessoas já identificadas, Lucena afirmou, através da assessoria de comunicação da Superintendência da Polícia Federal, que apenas no fim da operação serão divulgados a imprensa. Mais ou menos 50% das casas já foram desocupadas e restam pouco mais de 1.500 residências para serem reintegradas. 

A operação conta com a presença da Coordenação de Contenção de Distúrbios Civis da Polícia Federal vinda de Brasília especialmente para lidar com a desocupação do conjunto habitacional. Estão no local ainda mais de 400 homens das policias federal e militar, assim como membros do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão, Serviço Móvel de Urgência, Grupo Tático Aéreo, Cavalaria e Batalhão de Choque participarão da operação. As secretarias de assistência social (de São José de Ribamar, São Luís e do Estado) e funcionários da Caixa Econômica Federal também integram a operação que se estende até sexta-feira. 

Notificações
A entrega de notificações aconteceu no período de 12 a 16 deste mês e tudo foi feito em clima de tranquilidade. Mesmo contrários à determinação para desocuparem as unidades habitacionais, muitos assinaram os documentos quando os policiais solicitaram. Mas, segundo algumas pessoas que foram sorteadas pelo programa, alguns ocupantes decidiram não abrir a porta das casas aos agentes, para não assinar as notificações. Diante dessa situação, os policiais entregaram as notificações por debaixo das portas. A Operação Zodíaco trata da reintegração de posse dos imóveis em favor da Caixa. O início da operação foi decidido em reunião realizada no dia 6 deste mês, na sede da Polícia Federal, na Cohama.

Ocupação
As invasões ocorreram após os imóveis ficarem meses desocupados por conta de uma pendência entre o município de Paço do Lumiar e os sorteados da Caixa Econômica Federal (CEF), que deverão ocupar os imóveis após a retirada dos invasores. Os primeiros relatos de invasão na localidade surgiram nos dias 23 e 24 de março deste ano.

com informações de o imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!