Estado terá eleições indiretas para governador caso o TSE casse o mandato de Roseana


Caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) siga a mesma posição manifestada pelo Procurador Geral da República, Roberto Gurgel e decida pela cassação do mandato da governadora Roseana Sarney (PMDB) e do vice-governador Washington Oliveira (PT), deverá ser realizada uma eleição indireta pela Assembleia Legislativa que escolherá   o nome para comandar   o Estado . Nesta situação, qualquer pessoa  que atenda aos requisitos para disputar um cargo eletivo e não esteja impedido de exercer os direitos políticos, pode concorrer.

Tanto a legislação eleitoral quanto à Constituição Federal estabelecem a realização de eleições indiretas   nas situações onde   os mandatos do governador e do vice-governador, eleitos em primeiro turno, tenham ultrapassado o período de dois anos, quando ocorrer a cassação. Nestes casos, o presidente da Assembleia Legislativa assume o governo do Estado e  a realização das eleições indiretas  deve ocorrer  no prazo de 30 dias.
Esta situação  ocorreu em 2009, no Estado do Tocantins, quando houve a cassação do mandato   do governador Marcelo Miranda(PMDB) companheiro de legenda de Roseana Sarney. Na época, ele havia sido acusado de abuso de poder político, o mesmo tipo de acusação que pesa contra a atual governadora do Estado.
Na ocasião, a Assembleia Legislativa do Tocantins  realizou eleições indiretas e o presidente da casa, Carlos Henrique Gaguim também do PMDB foi eleito para governar o estado pelo restante do mandato do governador cassado. Atualmente, quem preside a Assembleia Legislativa do Maranhão  é o pemedebista Arnaldo Melo.

com informações Ma da Gente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!