Após chacina de PMs, policia vai até colégio para ter acesso às imagens das câmeras de segurança.

A polícia quer saber o motivo de o carro de uma das vítimas estar estacionado em frente ao colégio

A escola onde o menino de 13 anos estudava ficou fechada nesta terça-feira, após o crime na Brasilândia Foto: Fábio Santos / Terra
A escola onde o menino de 13 anos estudava ficou fechada 
nesta terça-feira, após o crime na Brasilândia
Foto: Fábio Santos / Terra

Dois policiais civis foram na manhã desta terça-feira à escola Stella Rodrigues, onde Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13 anos, estudava - o menino foi encontrado morto junto com os pais e mais duas parentes na noite de ontem, na Brasilândia, zona norte de São Paulo. A polícia quer saber o motivo de o carro da mãe do menino estar estacionado em frente ao colégio, que está fechado por conta do crime. 





O sargento Luis Marcelo Pesseghini, da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), a mulher dele, Andreia Regina Bovo Pesseghini, cabo da PM, o filho deles, a mãe de Andreia e uma tia dela foram mortos a tiros sob circunstâncias que ainda não foram esclarecidas. Porém, a Polícia Militar descartou que a chacina tenha sido um ataque.

Os investigadores devem pedir à direção do Colégio Stella Rodrigues para ter acesso às imagens das câmeras de segurança.

com informações do terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!