Quatro novos partidos podem concorrer em 2014



BRASÍLIA - Apesar de o País ter 30 partidos registrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quatro novas legendas devem ser criadas ainda neste ano, para poder concorrer nas eleições de 2014. Além do Rede Sustentabilidade, que ganhou expressão por estar sendo fundada pela ex-senadora Marina Silva, outras três legendas estão em fase de criação.

Mesmo antes de passar pelo teste das urnas ou de ter políticos eleitos em seus quadros, qualquer partido já tem direito a uma parcela do Fundo Partidário e do tempo de propaganda partidária gratuita no rádio e na TV.

Só para se ter uma ideia, em 2012, o menor volume do fundo repassado a uma sigla foi de mais de R$ 340 mil - para o Partido Ecológico Nacional(PEN), formado naquele ano. Dois dos prováveis quatro novos partidos estão mais adiantados que o de Marina.

A legenda havia sido fundada em janeiro de 2010, mas só agora oficializou o registro. No dia 5 de março, o Partido Liberal Brasileiro (PLB) havia solicitado o registro de seu estatuto, mas, como faltam alguns documentos, o processo está parado.

O PLB tem origem no Rio e tem como um de seus principais mentores o deputado Domingos Brazão, rompido com o governador Sérgio Cabral(PMDB).

O deputado Paulinho da Força (PDT-SP) também tenta viabilizar mais um partido. Presidente da Força Sindical, segunda maior centralsindical do Brasil, ele corre atrás de apoios para criar o Partido da Solidariedade.

Recentemente, a discussão sobre a criação de novos partidos gerou uma crise institucional entre o Congresso e o Supremo Tribunal Federal(STF). Tudo porque uma emenda constitucional pretende impedir a distribuição de tempo de TV e recursos do Fundo Partidário para novas siglas.

A proposta foi encabeçada pelo PMDB e PT, sob alegação de que é preciso reduzir a farra das novas legendas. O objetivo, dizem os adversários, é dificultar a candidatura de Marina Silva pelo Rede.

com informações do commercio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!