Polícia prende executante e mandantes do jornalista Décio Sá






 (DIVULGAÇÃO)
A operação intitulada "Detonando" foi deflagrada por policias civis e homens do GTA. Ao todo, estavam envolvidos 12 delegados na operação e cerca de 70 policiais para cumprir oito mandatos de prisão e 14 de busca e apreensão.

O executante de Décio, de 24 anos e natural do estado do Pará, foi preso pela polícia há alguns dias e já estava sendo interrogado para poder chegar aos mandantes. Além dele, sete pessoas que estavam envolvidas no crime também foram presas, inclusive os mandantes, que seriam policiais e empresários. Ainda não há confirmação oficial de políticos envolvidos no crime.
Os três mandantes presos foram identificados como Miranda, Gláucio e Júnior Bolinha. Os dois últimos trabalham com agiotagem. Bolinha, inclusive, é ex-policial e ex-vereador de Santa Inês. Atualmente ele é empresário do ramo de concessionárias de veículos e também seria agiota.


Além do trio, foram presos dois homens identificados como Bochecha e Balão, ambos paraenses, que trabalhavam para ele como cobradores de agiotagem. Os dois, juntamente com Júnior Bolinha, teriam feito um consórcio para mandar matar o jornalista.


Todas as informações serão divulgadas em uma coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (13) na sede da Secretaria de Segurança Pública, localizada na Vila Palmeira. Há ainda a possibilidade da presença da governadora Roseana Sarney na coletiva. Caso isso aconteça, a reunião ocorrerá no Palácio dos Leões.

A polícia está cumprindo o mandato também no estado do Pará, e cidades do interior do Maranhão.

Prisões e morte
 (Cássio Bezerra/OIMP/D.A Press)
Após a morte do jornalista Décio Sá, duas pessoas foram presas no dia 26 de abril, por suspeita de envolvimento no crime: Fábio Roberto e Valdênio Silva.

Completados trinta dias de prisão temporária, a polícia decidiu soltar o Valdênio, pois ele não teria nenhuma ligação com a morte do blogueiro.

Nesta terça-feira (12) ele foi executado com cinco tiros dentro de casa quando dormia. A polícia não descarta a ligação da morte de Valdênio com a de Décio.



de o imparcial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!