Polícia divulga retrato falado de assassino de Décio Sá


O retrato-falado do assassino do jornalista maranhense Décio Sá foi divulgado pela Polícia Federal e o Instituto de Criminalística do Maranhão. O crime aconteceu há 38 dias e as investigações para a elucidação do caso continuam em sigilo.

A Secretaria Estadual de Segurança informou que o retrato-falado já havia sido enviado para todas as polícias estaduais antes de ser divulgado. O serviço de disque-denúncia do Maranhão oferece até R$ 100 mil por informações que ajudem a chegar até o assassino.

O atraso na confecção do retrato-falado deveu-se às contradições na descrição de características entre os depoimentos das testemunhas 
O atraso na confecção do retrato-falado deveu-se às contradições na descrição de características entre os depoimentos das testemunhas 
Segundo o secretário de Segurança, Aluísio Mendes, o atraso na confecção do retrato-falado deveu-se às contradições na descrição de características entre os depoimentos das testemunhas. Em entrevista coletiva, Mendes afirmou que a divulgação do retrato-falado só foi definida após consenso entre todos os delegados envolvidos na investigação.
Mendes não deu informações adicionais sobre o andamento da investigação para elucidação do crime. Apenas afirmou que "os trabalhos evoluem a cada dia".
Décio Sá foi morto por seis tiros à queima-roupa enquanto jantava em um bar da Avenida Litorânea, em São Luís. A Polícia chegou a prender dois suspeitos de dar fuga ao assassino, mas um deles já foi liberado. O outro permanece sob custódia da Secretaria de Segurança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!