São José de Ribamar: descaso na Cultura

Grupo de Dança de Rua de São José de Ribamar participa de festival na Paraíba sem apoio institucional

Os sublimes, um dos principais grupos de Dança de Rua do município de São José de Ribamar representa o Estado do Maranhão em festival nacional; dançarinos são independentes e reclamam mais apoio e espaço para suas apresentações

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com

Centenas de grupos de dança de todo País se reúnem todos os anos para festejar a arte do movimento e a cultura urbana no Fenerde-Festival Norte-Nordeste de Dança de Rua, que este ano acontecerá entre os dias 12 e 14 de agosto na cidade de Cajazeiras na Paráiba. Tradicional e em sua 12 edição, o festival congrega dançarinos, estudantes e jornalistas ligados à Dança e às novas vertentes da Cultura Urbana Brasileira. O representante maranhense no festival vem de São José de Ribamar e já está de malas prontas rumo ao grande encontro coreográfico.

Os sublimes, grupo integrado por dançarinos da cidade balneária, foi selecionado pela comissão julgadora do evento para participar do concurso representando o Maranhão, fato este que ainda não ganhou o devido reconhecimento por parte da Administração Pública Municipal nem tampouco do Governo do Estado. Fundado em 2002, Os Sublimes estão inseridos na programação do encontro pela 3 edição. Este ano, o grupo leva para a pista a coreografia temática ‘Reciclagem’, baseada no conceito do aproveitamento de matéria orgânica para o fortalecimento e preservação do Meio Ambiente.

Hilton Alves, um dos diretores da agremiação, conta que mesmo sem apoio institucional, o grupo vem desenvolvendo suas atividades no município. ‘’ Seria muito bom se houvesse algum apoio para a Dança aqui em Ribamar, precisamos de estrutura para trabalhar, viajar, por em prática nossos projetos’’, afirmou. O descaso com a Dança no município de São José de Ribamar, também reflete a forma com a qual a Cultura é pensada também no âmbito estadual, onde os artistas desse seguimento só se apresentam em datas festivas como São João e Carnaval. Em se tratando da Dança de Rua- que integra a Cultura Hip Hop em particular-, a situação se agrava: além da ausência de apoio, os dançarinos ainda são confrontados com a presença do preconceito e do não reconhecimento de suas habilidades e talentos nas esferas dos governos municipal e estadual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!