Entrevista com possivel candidato a prefeito de São José de Ribamar ( Josivaldo Corrêa ) PCB



Josivaldo Corrêa, 44, ribamarense, presidente do PCB no município de São José de Ribamar, professor, geógrafo pós-graduado em Gestão de Cidade, é um pensador e articulador político, que propenso às redefinições de uma política marxista pragmática e sistêmica, ousa pensar a conjuntura social em seus desdobramentos mais englobadores. Em 2010 Corrêa se lançou candidato ao Governo do Estado em uma prerrogativa que honra os ditames e a lógica do “Partidão” ao longo de toda sua história. Na cidade balneária, o professor (munícipe) questiona o modo pelo qual se faz política, nos mais diversos aspectos, desde o partidário ao humanístico. Nessa entrevista, Josivaldo Corrêa explica se há ou não oposição em São José de Ribamar. Claro, a partir do conceito de legitimidade.



– Como acreditar em uma oposição partidária concebida a partir de interesses pessoais que remetem ao alpinismo social daqueles que a compõem?

Josivaldo Corrêa – Nós do PCB, não estamos numa coligação partidária, como todos pensam em Ribamar.
1. Estamos sim num processo político democrático, onde os partidos, as pessoas e os movimentos sociais, como instituição política, se colocam como oposição à forma de administrar do governo municipal.
2. A frente de oposição ribamarense, não é uma coligação de partidos para a eleição de 2012. É uma expressão da vontade política, dos partidos de esquerda e dos movimentos sociais comprometidos com a luta popular. É imperativo discutir a Cidade. E são estes que fiscalizam e fazem uma reflexão diferenciada dos aliados do Governo.
3. Existe interesse pessoal sim, de todos os partidos envolvidos na Frente de oposição. Cada partido e movimento social integrantes têm seus valores éticos, políticos e partidários, estatutos diferentes e programa de governo para São José de Ribamar, e isso incluem lançar candidatos ao Executivo e ao Legislativo Municipal. Quanto ao alpinismo social daqueles que a compõem, não posso fazer juízo de valor. Isso é intrínseco de cada individuo participante.
O desejo do PCB é promover e divulgar o programa do Partido rumo ao Socialismo. Não é apenas um interesse eleitoral. Se as condições forem favoráveis, em 2012 lançaremos nossa candidatura sim. E vamos continuar a discutir os interesses da cidade.
4. Quanto à nossa participação junto à Frente, é importante salientar que o PCB não deve obséquio a ninguém. É autônomo e busca a conscientização da classe trabalhadora e política. E tem uma proposta de governo socialista para o Município, com uma forte participação popular.
5. Não há um compromisso fechado do PCB, em fazer aliança para 2012. Até porque essa aliança só se consolidaria com o PSOL e PSTU, esse último ainda não se instalou em Ribamar. Mas, estamos mais preocupados mesmo é com a inversão dos valores políticos aqui semeados, estamos dando um basta às promessas fingidas e a tantos assédios midiáticos, obras monumentais temporárias, para seduzir aos conceitos do Povo.

- Existe oposição legítima em São José de Ribamar, aquela que é feita com envolvimento e comprometimento social comprobatório, que negue o circunstancial e a visão imediatista eleitoreira?

Josivaldo Corrêa- Em São José de Ribamar a tempo não há OPOSIÇÃO, apenas pose. Mas isso faz parte do sistema ou do cenário político atual para insurgir-se contra algo. Opor-se virou uma negociata. Vemos isso nos governos: Câmara, Das Neves, Julinho e Luís Fernando e continua com Gil e deve permanecer.
O conceito de Oposição é que não é compreendido. Oposição é a lucidez em luta diária contra o obscurantismo e a má forma de governança do Poder no Governo. Lucidez é enxergar e expressar com clareza os eventos e processos que infelicitam ao povo que vive subjugado por esse governo, nação. Nei Duclós. Grifo meu.
Oposição, portanto, faz parte da luta pela sobrevivência. Não se trata de encarnar o TUCANATO quando o PETISMO está no poder e vice-versa. Nem de bater no Governo ou Cutrim ou nos Sarney, ou só por que eles acumulam um cervo patrimonial e financeiro para sua descendência até a milésima geração. Somos oposição ao Sistema.
Se você acha que fazer oposição é simplesmente sair falando mal do governo você não imagina o quanto está enganado. A oposição é um instrumento fundamental na Democracia. Imagine como seria se todos pensassem igual, se ninguém reclamasse quando uma ideia ruim surgisse e simplesmente deixasse acontecer. A oposição esta aí pra isso, para apontar o dedo para o problema, na sua raiz, no cerne da questão.
Fazer oposição não é simplesmente sair criticando as pessoas e obras do governo. Antes de sair por aí reclamando, denunciando, seria bom tem um bom conhecimento prévio sobre o assunto, ouvir a opinião do outro lado, saber por que ele pensa diferente de você. Às vezes a questão é basicamente o ponto de vista de um dos lados. Portanto ser oposição é mais do que isso. É ter coragem de apontar os problemas que existem, sendo propositivo e conhecer antes de tudo o seu município, como conheço.
É possível fazer oposição com diálogo, ética e respeito, sem isso significar dependência e holerites no governo municipal. Não estamos atrás de escândalos, temos que evitá-los com sugestão, conscientização, transparência, equidade e quando possível com a altenança de poder. E isso tem sido nossa prática diária, junto ao Legislativo e ao Governo Municipal.
Precisamos acreditar que somos um município forte, um povo consciente, que aqui temos oposição, e posição, atitude, conhecimento, homens bons e íntegros, temos grandeza e vivemos dentro da legitimidade. Temos que fazer oposição com determinação. Para dar força, incentivar aos trabalhadores, valorizar os profissionais Ribamarenses e o povo.
Quanto ao que negue o circunstancial e a visão imediatista eleitoreira?
O conceito de oposição política é esse acima citado, já o de oposição partidária e eleitoreira jamais terá o seu caráter negado aqui. Os dirigentes partidários são seus motores propulsores. Tudo isso leva a uma conclusão: “os políticos elegem os políticos e não o povo”.

- O Sr. é candidato a prefeito, pelo PCB, nas eleições municipais de 2012?

Josivaldo Corrêa – Sou um militante, um soldado do partido comunista e essa decisão dependem da aprovação dos Comitês Central e Regional do PCB. Temos uma resolução Nacional a cumprir, vamos esperar. PCB não é um partido eleitoral, o PCB tem em sua missão a construção da revolução socialista. O PCB estuda sim a possibilidade de lançar candidaturas ao governo e ao legislativo municipal, que represente os anseios da classe trabalhadora de São José de Ribamar, pois entende que é preciso alternância do poder, modificar o sistema. Essa construção se dará na luta diária com o povo.
Vamos propor uma gestão diferenciada, onde o trabalhador tenha o seu próprio governo, um governo feito e governado por ele. E por Ribamarenses acima de tudo.
Não se pode mais sustentar um sistema político e econômico engessado, que jamais muda. Qualquer problema que acontece, a culpa é do eleitor, do povo. Nunca é do político que ele ajudou a eleger. A mentira é recorrente e quase tudo o que se propõe durante a campanha deixa de ser cumprido durante a gestão.
E mais, o marketing milionário decide as eleições. Urnas eletrônicas não são auditadas. Compra-se voto com bolsa família e outros programas sociais, holerites e inúmeros outros expedientes. O financiamento de campanha continua sempre da mesma forma, apesar das leis e do alarde que se faz em contrário. Empréstimos de empreiteiras e serviços. Voto do grotão “$”(transferências) que para uns, valem mais do que voto dos (munícipes), e conseqüentemente há sub-representação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!