Fila para despedida



A sede do Partido Democrático Trabalhista (PDT) começou a receber militantes da sigla, eleitores e amigos para o velório do ex-governador do Maranhão, Jackson Lago. A movimentação começou ainda na manhã de ontem. A Polícia Militar reforçou a segurança do local onde eleitores, amigos e ex-colegas de trabalho de Jackson Lago foram despedir-se do ex-governador. Por conta da grande movimentação de pessoas, foi preciso formar uma fila para a entrada no local.

Antes da chegada do corpo do pedetista, o clima era de tristeza e comoção. A multidão comentava a trajetória do ex-governador, desde sua vida pessoal, passando por sua profissão de médico e de professor universitário e chegando à carreira política.

Para o engenheiro Arlindo Batista, de 71 anos, Jackson Lago deixa um importante legado para a sociedade: “Trabalhei com o Doutor Jackson na primeira gestão dele como prefeito e, a partir daí, mantivemos uma relação bastante estreita, até porque ele nunca dizia não para ninguém, sempre tinha uma saída para tentar resolver os problemas. Era um homem muito batalhador. Ninguém pode negar a importância dele como médico e político do Maranhão. Ele vai deixar uma grande lacuna no estado e uma importante marca na história”. Maria da Conceição Serejo, 67 anos, funcionária publica municipal relatou aos prantos a convivência com o ex-governador. “Comecei a trabalhar no primeiro mandato de Jackson Lago como prefeito de São Luís.

Doutor Jackson era muito atencioso, sempre fez todos os funcionários se sentirem em casa. Essa notícia foi um grande choque para mim, pois eu gostava muito dele. Não tenho palavras suficientes para descrever o quanto eu estou triste”, afirmou. Maria de Fátima Carvalho, 55 anos, também falou sobre a trajetória de vida de Jackson Lago. “Conheço o Doutor Jackson desde a minha adolescência.

Ele foi médico de algumas pessoas da minha família. Era uma pessoa séria e determinada no trabalho, dava muita atenção aos pacientes. Eu acompanho a carreira política dele desde o início e sempre notei integridade no que ele fazia. Mesmo tendo sido cassado, eu sempre vou considerá-lo governador do Maranhão”, disse a funcionária da rede municipal de saúde. O reitor da UFMA, Natalino Salgado, comentou as carreiras de Jackson Lago como médico e professor universitário: “A figura do professor Jackson com certeza está presente na memória de todos os que conhecem a trajetória dele. Eu tive a chance de acompanhá-lo como aluno da nossa universidade, onde ele teve a oportunidade de exercer depois suas atividades como professor de Medicina”, relembrou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!