Eleitores de Jackson se emocionam e dão adeus

Nos principais bairros que eram redutos eleitorais de Jackson Lago (PDT), a notícia da morte do político pesou e, ao mesmo tempo, acendeu nos eleitores a frustração pelo pedetista ter dado adeus sem conseguir reassumir o comando do governo do Maranhão, após a cassação confirmada em abril de 2009. Sobraram lamentações e os eleitores que cativou - os quais apostavam todas as fichas no “Dr. Jackson”- ainda não sabem onde termina o político hábil e articulado e começa o médico, com expressão de pai.

Além de ter conseguido consolidar uma hegemonia que durou 20 anos na Prefeitura de São Luís, exercendo mandato ou fazendo sucessor nessa instância do poder municipal, Jackson Lago tornou-se homem público querido pela população que atendia. No Coroadinho, com a idealização das Unidades Mistas de Saúde e com a autorização para a construção dos apartamentos do PAC Rio Anil, na Camboa, Jackson Lago catalisou votos e corações.

Solange Pinheiro, 46 anos, é eleitora de Jackson Lago há, pelo menos, 20 anos. Antiga moradora de uma palafita à margem do Rio Anil, ela dedica a Jackson Lago o apartamento onde mora. Para ela, desacostumada a ver cumpridos os deveres constitucionais do estado, ter o direito a moradia assegurado é motivo mais do que suficiente para ter no pedetista completa paixão.

“Todos nós aqui ficamos muito tristes com a notícia da morte do Dr. Jackson. Se não fosse ele, nós não estaríamos aqui, numa casa nossa. O pessoal daqui vai todo para o velório, dar adeus”, disse Solange.

Emocionada, a eleitora jackista Rosenilde Silva, 39 anos, ficou desde a manhã de ontem na sede do partido, local onde o corpo está sendo velado, enrolada numa bandeira vermelha do “12”. Ela, que deu o primeiro voto para Jackson ainda quando era uma eleitora adolescente, disse ter se filiado ao PDT por causa do líder pedetista e lamenta não ter agora quem o vá substituir. “Através dele, eu entrei no partido.

Agora, que ele não está entre nós, ficará a nossa profunda admiração pela história dele, pela simplicidade, pelo caráter. A voz mansa dele, a forma de tratar a todos é insubstituível. Hoje só saio daqui quando prestar minha última homenagem”, declarou Rosenilde.

Desde a noite da última segundafeira (4), data da morte do ex-governador, a movimentação na sede do PDT, no Maranhão, já estava sendo intensa e ontem pela manhã, logo nas primeiras horas do dia, aumentou o fluxo de pessoas no local, escolhido pelo próprio Jackson.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!