Vereadora Elisabeth Malheiros cobra Executivo Municipal

A vereadora Elisabeth Malheiros(PV) cobrou na última terça-feira(15)do executivo municipal mais deferência e tempo para votação dos projetos de lei e proposições postas pelo Poder para aprovação na câmara;os demais vereadores presentes, dentre eles Marlene Monroe, Arthuzinho, Nonato Lima, Beto das Vilas, Negão e Djalma reforçaram a tese da colega no plenário da casa legislativa.

A vereadora Elisabeth Malheiros cobrou na última terça-feira(15) em pronunciamento realizado no plenário Aldenor Nojosa da Câmara de Vereadores de São José de Ribamar mais coerência por parte do executivo municipal em relação ao envio de projetos de lei e matérias que requeiram avaliação do legislativo para aprovação e execução.
A cobrança da legisladora diz respeito aos festejos carnavalescos que serão realizados este ano,para os quais não houve tempo suficiente para análise dos ítens referentes à organização do evento.”Precisamos que os projetos do executivo em qualquer área social, venham para esta casa para serem analisados com desprendimento e ausência de pressa, em conformidade com os interesses aqui representados, que são os interesses do povo ribamarense, matérias importantes como esta levam tempo para serem avaliadas”, declarou.
O presidente da casa, vereador Beto das Vilas, também ratificou o interesse do legislativo em debater os projetos do executivo para uma melhor adequação dos mesmos à realidade das comunidades e povoados do município.”Concordo com a vereadora, quando diz que precisamos de tempo para analisar os projetos, esta casa é constituída de vereadores que pensam a cidade sob os mais vários aspectos,de forma que,lançar luz sobre os problemas que ainda existem no nosso município, enriquecerá ainda mais as intenções de melhorias que partem do executivo ”, afirmou.
Já para o vereador Neilson Coêlho Negão, o carnaval realizado na cidade ainda precisa incluir artistas, brincadeiras e blocos que sobrevivem à margem do processo de seleção realizado pela secretaria municipal de cultura.”O cadastro da secretaria precisa ser repensado no sentido de tornarmos a gestão da arte mais democrática, contemplando os artistas que nunca participaram das programações e festividades organizadas no município”, concluiu.

Por Fernando Atallaia
Da Agência Baluarte
atallaia.baluarte@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anuncie!